Segundo Simulado Mais Ideb tem participação de mais de 209 mil estudantes

Estudantes fazem provas do Simulado Mais Ideb, no Cejol. Foto: Lauro Vasconcelos/Seduc

Mais de 209 mil estudantes das 1ª e 2ª séries do Ensino Médio, de 759 escolas da rede estadual de ensino, em todo o Maranhão, participaram, nesta terça-feira (13), do 2º Simulado Mais Ideb 2018. A prova foi instituída em 2016 como ação estratégica do Plano Mais IDEB criado pelo Governo do Maranhão para elevar a qualidade do ensino oferecida aos maranhenses.

A partir dos resultados obtidos nas provas, é feito um diagnóstico das aprendizagens em leitura, interpretação textual e resolução de problemas entre estudantes da etapa final da Educação Básica.

“Um dos reflexos dos simulados, que começaram a ser realizados no ano passado, foi a nossa nota no Ideb, quando atingimos 3,4, uma melhora significativa no nosso indicador. Os simulados são ferramentas diagnósticas que fazem com que a gente possa ver em que conteúdos precisamos melhorar, que habilidades e competências precisamos trabalhar de maneira mais efetiva com o nosso estudante e, assim, traçar estratégias de melhorias visando a qualidade educacional”, explicou a superintendente da Educação Básica da Seduc, Elisiane Carneiro dos Santos Oliveira.

Durante duas horas, os estudantes responderam 40 questões dos componentes curriculares de Língua Portuguesa (20) e Matemática (20). Todas as questões foram elaboradas dentro dos padrões de provas do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), realizada pelo MEC, a cada dois anos, com o objetivo de calcular o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

A ação mobilizou os estudantes em todas as regiões do Maranhão. No C.E. Benedito Leite e no Centro de Ensino João Francisco Lisboa (Cejol), em São Luís, 100% dos estudantes das 1º e 2º séries fizeram as provas. Em todo o estado, os alunos se concentraram nas provas com foco em avaliações que terão pela frente, entre elas as provas do Saeb que serão realizadas em 2019.

Estudante Tayla Caroline, do C.E. Benedito Leite, elogia iniciativa dos Simulados Mais Ideb. Foto: Lauro Vasconcelos/Seduc

“Eu gostei do nível das questões. Matemática, por exemplo, caiu funções que eu acho bacana. E estou esperando um bom resultado”, destacou Eduardo Ferreira dos Santos, da 1ª série do C.E. Benedito Leite.

A estudante Tayla Caroline, do C.E. Benedito Leite gostou de participar do simulado. “A gente se prepara para o nível de questões de outras provas como o Enem, o Saeb, e contribui para o nosso crescimento, porque a gente relembra o que a gente deu antes, até mesmo do Ensino Fundamental”.

“Acho que é muito válido o simulado porque a gente vai se adaptando à forma como as questões são abordadas em outras provas como Enem e Saeb. O nível das questões está difícil, mas dá para responder”, disse Stefanny Vitória, aluna do Cejol.

José de Ribamar Silva, da mesma escola, disse que a provas ajudam a revisar o conteúdo. “E se a gente não acerta, a gente chega em casa e vai revisar o que a gente teve dificuldade”.

Rodrigo Araújo, aluno do Cintra, disse que gostou da prova de Matemática por trazer bastante questões de lógica. “Nos ajudam muito a pensar e nos ajudam também no Enem, já que fazemos um esforço mental muito grande. Acho muito importante para essa questão do preparo”.

Para Gerusa Carla Pessoa Cabral Alves, professora de Língua Portuguesa, do C.E. Graça Aranha, em Imperatriz, destaca o interesse do Governo do Estado em oferecer esses testes aos jovens. “Esses simulados vão preparando os nossos alunos para trabalhar as questões de interpretação e outras habilidades que eles precisam ter em relação a leitura e até mesmo em matemática, eles também precisam dessa interpretação”.

Aplicativo Mira Aula

Professor faz correção instantânea prova do Simulado Mais Ideb usando o aplicativo Mira Aula. Foto: Lauro Vasconcelos/Seduc

Neste 2º Simulado Mais Ideb, as escolas da rede pública contaram com uma ferramenta de ponta para auxiliar os professores na hora da correção das provas e dar mais celeridade ao processo. O aplicativo Mira Aula, que garantiu a correção instantânea das provas, com resultados imediatos para professores, gestores escolares e Seduc.

O uso do aplicativo é resultado da parceria entre Seduc e a Startup Mira Educação, que disponibilizou os serviços gratuitamente. O objetivo da iniciativa é obter indicadores que possam nortear a gestão educacional das escolas maranhenses, a fim de melhorar, ainda mais, a proficiência dos alunos e empoderar a comunidade escolar, utilizando tecnologia e informação de ponta.

“A proposta da gente, com o aplicativo, é exatamente agilizar os processos que já acontecem dentro da escola. A gente sabe que não é a tecnologia que muda a educação, são as pessoas, mas, nós podemos oferecer boas ferramentas para que o trabalho das pessoas possa ser muito mais ágil e eficaz”, explicou a gerente de Relações Governamentais da Mira Educação, Aline Figueiredo.

“O aplicativo corrige as provas de forma instantânea e a gente tem uma tabulação automática dos dados. Isso permite à Secretaria uma fotografia da sua rede, já que é uma resposta muito rápida, e para o professor, uma fotografia de sua turma”, disse Aline Figueiredo.

Rosângela Neres, professora de Matemática do Cejol acha que toda ferramenta que vem para facilitar a vida do professor, e o processo educacional, é fundamental. “E esse aplicativo vai, sem dúvida, agilizar muito o nosso trabalho. A gente levava em média 20 minutos para corrigir uma prova, e agora não, em questão de segundos o resultado está ali”.

“Essa agilidade vai dar um retorno imediato para as escolas, assim vamos saber onde falhamos, quais os conteúdos que precisam ser reforçados, de que forma teremos que trabalhar para ter um maior aprendizado por parte dos nossos alunos. Essa ideia do Mira Aula foi fantástica e louvável”, disse Edilene Batalha, gestora do C.E. Benedito Leite.

Powered by WPeMatico

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
%d blogueiros gostam disto: